REMISSÃO E SENTIMENTO: A HISTÓRIA DE RUTE E BOAZ A LUZ DA SOCIOLOGIA DOS AFETOS

James Washington Alves dos Santos, Maria Chaves Jardim

Resumo


O artigo este questão aborda duas temáticas que vão dar sentido a história do livro de Rute, a saber: a remissão e o sentimento afetivo. Ambas as características darão sentido a vida das personagens deste livro. Para além de um simples relato histórico, o que esta em jogo é a percepção de que para além da lógica do interesse pessoal e da manutenção da tradição é possível vermos o tema da afetividade tomar as cenas históricas narradas. Por isso fazemos uso de uma pesquisa bibliográfica sobre o livro de Rute buscando evidenciar os aspectos da lei mosaica que trata diretamente do cuidado com os pobres e o direito de propriedade inserindo neste contexto as temáticas do reconhecimento e do afeto com elementos que se entrelaçam as questões econômicas, culturais e politicas.

REMISSION AND FEELING: THE HISTORY OF RUTE AND BOAZ THE LIGHT OF SOCIOLOGY OF AFFECTS
The article in this issue addresses two themes that will make sense to the history of the book of Ruth, namely: remission and affective feeling. Both features will make sense to the life of the characters in this book. In addition to a simple historical account, what is at stake is the perception that above the logic of personal interest and the maintenance of tradition it is possible to see the theme of affectivity take the historical scenes narrated. For this reason, we make use of a bibliographical research on the book of Ruth seeking to highlight the aspects of the Mosaic Law that deals directly with the care of the poor and the property right, inserting in this context the themes of recognition and affection with elements that intertwine the economic, cultural and political issues.

Palavras-chave


Remissão; Sentimento; Religião; Remission; Feelings; Religion

Texto completo:

PDF

Referências


ABADIE, Phillipe. O livro de Esdras e Neemias. São Paulo: Paulus, 1998.

ALANATI, Leonardo. Releituras rabínicas do livro de Rute. Estudos Bíblicos, Petrópolis, n. 98, p. 72-84, junho 2008.

ARAÚJO, Gilvan Leite de. História da festa judaica das Tendas. São Paulo: Paulinas, 2011.

BONDER, Nilton. Pessach: um manual. Rio de Janeiro: Imago, 1990.

BOSI, Ecléa. Memória e Sociedade: Lembranças de Velhos. 3. ed. São Paulo, Companhia das Letras, 1994.

BÍBLIA Sagrada de Jerusalém. São Paulo: Paulinas, 2001.

BRENNER, Athalya (Org.). Rute a partir de uma leitura de gênero. São Paulo: Paulinas, 2002.

DICHI, Isaac. Regras gramaticais do Lachon Hacodesh. In: ___. Vaani Tefilá: leis referentes às orações. Resumo prático baseados nos livros de Halachá. São Paulo: Congregação Mekor Haim, 1992. p. 22-40.

FERNANDES, Leonardo Agostini. Rute. São Paulo: Paulinas, 2012.

FERREIRA, Cláudia Andréa Prata. O livro de Rute: uma leitura sobre o discurso e as relações de poder. Atualidade Teológica, Rio de Janeiro, v. 45, n. 2, p. 496-509, set./dez. 2013.

______. O Seder de Pessach: Memória, Rito e Mito no Judaísmo. In: LESSA, Fábio de Souza; BUSTAMANTE, Regina Maria da Cunha (Orgs.). Memória & Festa. Rio de Janeiro: Mauad, 2005. p. 21-27.

______. O pacto da memória: interpretação e identidade nas fontes bíblica e talmúdica. Tese de Doutorado em Ciência da Literatura (Poética). Rio de Janeiro: UFRJ/Faculdade de Letras, 2002.

FRIZZO, Antonio Carlos. A Trilogia Social: estrangeiro, órfão e viúva no Deuteronômio e sua recepção na Mishná. Tese de doutorado em Teologia. Rio de Janeiro: PUC-Rio/Departamento de Teologia, 2009.

HALBWACHS, Maurice. A Memória Coletiva. 2. ed. São Paulo: Centauro, 2013.

HENRY, Matthew. Comentário bíblico de Matthew Henry. 4. ed. Rio de janeiro: CPAD, 2004. p. 453.

KIRSCHBAUM, Saul. Sobre o caráter diacrônico dos festivais religiosos. REVER: Revista de Estudos da Religião, São Paulo, v. 22, n. 2, p. 20-37, maio 2003.

KITZINGER, Ângela Maringoli. Messianismo de Rute ao Brasil Contemporâneo: Sofrimento e Esperança – Rute 4,1-12. Dissertação de mestrado em Ciências da Religião. São Bernardo do Campo, São Paulo: UMESP/Faculdade de Filosofia e Ciências da Religião, 2011.

KOLATCH, Alfred J. Livro judaico dos porquês. São Paulo: Sefer, 1996.

KRAMER, Pedro. Origem e legislação do Deuteronômio: programa de uma sociedade sem empobrecidos e excluídos. São Paulo: Paulinas, 2002.

LOPES, Mercedes. O livro de Rute. Ribla: Revista de Interpretação Bíblica Latino-Americana, São Bernardo do Campo, v. 20, n. 52, p. 37-52, junho 2005.

MESTERS, Carlos. Rute. Petrópolis: Vozes, 1987.

______. Como ler o livro de Ruth: pão, família, terra. São Paulo: Vozes, 1991.

SCARDELAI, Donizete. O escriba Esdras e o Judaísmo: um estudo sobre Esdras na tradição judaica. São Paulo: Paulus, 2012.

SILVA, Aldina. Rute: um evangelho para a mulher de hoje. São Paulo: Paulinas, 2002.

STEINMETZ, Avraham. Fundamentos Judaicos para iniciantes. São Paulo: Chabad, 1996.

STORNIOLO, Ivo. Como ler o Livro de Deuteronômio: escolher a vida ou a morte. 5. ed. São Paulo: Paulus, 2007.

WOLPO, Shalom Dov. Conceitos judaicos. São Paulo: Lubavitch – Brasil, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/cam.v16i2.6581

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 James Washington Alves dos Santos Santos

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


CAMINHOS | Revista do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-778X | Qualis B1

Visitantes - (01/01/2006 - 20/11/2018)
País Usuários
Brasil 39.977 - 93,63%
Estados Unidos 813 - 1,90%
França 286 - 0,67%
Portugal 190 - 0,44%
Coréia do Sul 127 - 0,30%
Alemanha 87 - 0,20%
Reino Unido 82 - 0,19%
México 78 - 0,18%
Moçambique 69 - 0,16%
Total 43.121

Fonte: Google Analytics.