VIRGEM DO ROSÁRIO E SÃO BENEDITO: IRMANDADES NEGRAS NA CAPITANIA DOS GOYAZES

Rosinalda Côrrea da Silva Simoni

Resumo


O presente artigo é parte do segundo capítulo de minha tese de doutorado intitulada “A congada da Vila João Vaz em Goiânia (GO): memória e tradição”, defendida, em agosto de 2017, no programa de pós-graduação stricto sensu em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Goiás. O artigo discute a religiosidade popular e o papel do sincretismo religioso no nascimento das irmandades negras no Brasil e em Goiás. No Brasil, o sincretismo religioso apresenta-se como elemento primordial para se compreender a construção cultural identitária dos afrodescendentes, bem como algumas manifestações culturais,quais, por exemplo, a Congada. Com base nesse contexto, neste artigo, abordar-se-á a temática do sincretismo e, em seguida, o contexto histórico das irmandades de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, São Benedito, Santa Efigênia e São Elesbão, ressaltando sua importância para a recriação da África negra no Brasil.

VIRGIN OF THE ROSARY AND SAINT BENEDICT:
BLACK FRATERNITY IN THE ‘CAPITANIA DOS GOYAZES’

This article is part of the second chapter of my doctoral thesis entitled "The Conga of Vila João Vaz in Goiânia (GO): memory and tradition", defended in August 2017 in the stricto sensu postgraduate program in Sciences of the The article discusses the popular religiosity and the role of religious syncretism in the birth of the black brotherhoods in Brazil and Goiás. In Brazil, religious syncretism is a primordial element in understanding cultural construction identity of Afro-descendants, as well as some cultural manifestations such as Congada. Based on this context, this chapter will focus on syncretism and then on the historical context of the brotherhoods of Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, São Benedito, Santa Efigênia and São Elesbão, highlighting its importance for the recreation of Black Africa in Brazil.

Palavras-chave


Catolicismo popular. Irmandades. Congada. Popular Catholicism. Fraternities. Congada.

Texto completo:

PDF

Referências


AZZI, R. Catolicismo popular e autoridade eclesiástica na evolução histórica do Brasil. Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 125-152, maio 1977.

ARAGÃO, I. R. Devoção negra aos santos católicos: identidade, hibridização religiosa e cultural nas celebrações. Revista Brasileira de História das Religiões, Maringá, v. V, n. 15, jan. 2013 p. 1-14. Disponível em: http://www.dhi.uem.br/gtreligiao/pub.html. Acesso em: dez. 2016.

BRANDÃO, A. São Benedito, o santo preto. Aparecida: Santuário, 1986.

BRANDÃO, C. R. Prece e benção: espiritualidade religiosa no Brasil. Aparecida: Santuário, 2009.

BRANDÃO, C. R. Os deuses do povo: um estudo sobre a religião popular. São Paulo: Brasiliense, 1986.

BRANDÃO, C. R. A festa de Santo Preto. Rio de Janeiro: Funarte/Instituto Nacional do Folclore; Goiânia: Ed. da UFG, 1985.


BRANDÃO, C. R. Peões, Pretos e Congos: relações de trabalho e identidade étnica em Goiás. Dissertação (Mestrado) - Universidade de Brasília, Brasília, 1977.

BRANDÃO, C. R. Cavalhadas de Pirenópolis. Goiânia: Oriente, 1974.

BURKE, P. A cultura popular na idade moderna. São Paulo: Cia. das Letras, 1989.

CASTRO, E. W. O mármore e a murta: sobre a inconstância da alma selvagem. São Paulo: Cosac Naify, 2002.

CARVALHO, E. F. O rosário de Aninha [manuscrito]: os sentidos da devoção rosarina na escritura de Anna Joaquina Marques (Cidade de Goiás, 1881-1930). Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2008.

CRUZ, T. C. de C.. As irmandades religiosas de africanos e afrodescendentes. PerCursos, Florianópolis, v. 8, n. 1, p. 03-17, jun. 2007.

CURADO, S. F. Memórias históricas. 2. ed. Goiânia: [s.n.], 1989.

D’ADESKY, J. Pluralismo étnico e multiculturalismo: racismos e anti-racismos no Brasil. Rio de Janeiro: Pallas, 2001.

FREYRE, G. Casa grande & senzala. Rio de Janeiro: Record, 1992.

GALLAIS, P. Estevão Maria. O apostolo do Araguaia: Frei Gil Vila nova missionário dominicano. Prelazia de Conceição do Araguaia, 1942.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC Editora, 1989.

HEGEL, G. W. F. Lecciones sobre la filosofía de la historia universal. 4. ed. Tradução de J. Gaos. Madrid: Alianza Editorial, 1989.

KARASCH, M. C. A vida dos escravos no Rio de Janeiro (1808-1850). Tradução de Pedro Maia Soares. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

MAURÍCIO, A. Templos históricos do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Laemmert, 1946. Disponível em: http://www.uff.br/curias/sites/default/files/SANTO%20ELESB%C3%83O%20E%20SANT A%20EFIG%C3%8ANIA%20-%201740.pdf. Acesso em: jan. 2017.

MIRANDA, J. S. Permanências d’África no catolicismo goiano. Fragmentos de Cultura, Goiânia, v. 21, n. 4/6, p. 319-329, abr./jun. 2011.

OLIVEIRA, A. J. M. Devoção e identidades: significados do culto de Santo Elesbão e Santa Efigênia no Rio de Janeiro e nas Minas Gerais nos Setecentos. TOPOI, Rio de Janeiro, v. 7, n. 12, p. 60-115, jan./jun. 2006.

QUINTÃO, A. A. Professora, existem santos negros? Histórias de identidade religiosa negra. São Paulo: Edusp, 2007.

RABAÇAL, A. J. As Congadas no Brasil. São Paulo: Conselho Estadual de Cultura, 1976.

SCHWARTZ, S. B. Segredos internos, engenhos e escravos na sociedade colonial. 1550-1835. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

SIMONI, R. C. da S. A Congada da Vila João Vaz em Goiânia (GO): memória e tradição. Tese (Doutorado em Ciências da Religião) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2017.

SOARES, M. de C. Devotos de cor, identidade étnica, religiosidade e escravidão no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 2000.

SOARES, R. da S. Negra nobreza, reis, rainhas e a aristocrácia do imaginário negro. Revista USP, São Paulo, v. 69, p. 92-103, mar./maio 2006.

SOUZA, L. de M. O diabo na terra de Santa Cruz. São Paulo: Cia. das Letras, 1986.

SOUZA, A. R. As irmandades católicas dos negros na cidade de Goiás no século XIX. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião) - Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2001.

SOUZA, M. de M. Catolicismo negro no Brasil: santos e minkisi, uma reflexão sobre miscigenação cultural. Afro-Ásia, São Paulo, v. 28, p. 125-146, 2002.

VASCONCELOS, P. de A. Cultura, religião e escravidão na Bahia (1549 - 1888). Revista Espaço Cultural, Salvador, n. 2, p. 08-18, jun. 1996.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/cam.v17i1.6877

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Rosinalda Côrrea da Silva Simoni

Rodapé - Caminhos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


CAMINHOS | Revista do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-778X | Qualis B1

Visitantes - (01/01/2006 - 01/05/2019)
País Usuários
Brasil 55.389
Estados Unidos 1.453
Portugual 321
França 316
Coréia do Sul 167
México 131
Moçambique 99
Angola 94
Reino Unido 89
Total 60.045

Fonte: Google Analytics.