AVALIAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL: AFINAL, O QUÊ?

Anna Carolina de Souza Feitoza, Fernanda Müller, Maria Fernanda Farah Cavaton

Resumo


O artigo analisa o conteúdo de 29 registros de avaliação, que foram organizados em três categorias: descritivos, objetivos e descritivo-objetivos. As avaliações descritivas tratam do desenvolvimento das crianças e apresentam adjetivos e advérbios que qualificam a sua ação, introduzindo um componente moral. As avaliações objetivas contam com possibilidades pré-determinadas de resposta associadas ao desempenho das crianças. As avaliações descritivo-objetivas mesclam as características das duas outras tipologias, criando uma estrutura que permite a escrita livre e a resposta a um questionário objetivo. Diante de cada uma das categorias, o artigo busca responder a questão: afinal, o que avaliar?

Palavras-chave


Análise de Conteúdo; Avaliação; Educação Infantil.

Texto completo:

PDF

Referências


ALEXANDER, Robin. Pédagogie, Culture et Comparison: visions et versions d’école élémentaire. La Revue Française de Pedagogie. 142, 5-19, 2003. Disponível em: http:/www.scholar.google. com Acesso em 14 out. 2008.

ALEXANDER, Robin. Culture, dialogue and learning: notes on an emerging pedagogy. CONFERENCE OF THE INTERNATIONAL ASSOCIATION FOR COGNITIVE EDUCATION AND PSYCHOLOGY, 10. Durham, 2005. Disponível em: http://www.scholar.google.com. Acesso em: 14 out. 2008.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira; HORN, Maria da Graça Souza. Projetos pedagógicos na educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 2008.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Tradução Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2011.

BATISTA, Sueli Soares dos Santos. Experiência e observação: de Rousseau ao Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 4, p. 779-792, dez. 2011.

BONDIOLI, Anna (Org.). O tempo no cotidiano infantil: perspectivas de pesquisa e estudo de casos. Tradução Fernanda L. Ortale e Ilse Paschoal Moreira. Revisão técnica: Ana Lúcia Goulart de Faria e Elisandra Girardelli Godoi. São Paulo: Cortez, 2004.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Congresso Nacional, 1988. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: maio de 2013.

BRASIL. Lei Federal 9.394 de 26 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. Referencial Curricular Nacional para a Educação infantil. Brasília: MEC, SEB, 1998.

BRASIL. Emenda constitucional nº 59, de 11 de novembro de 2009. Lex: legislação federal marginalia, Brasília, nov. 2009.

BRASIL. Ministério da Educação, Coordenação de Educação Infantil. Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil. Brasília: MEC, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Educação Infantil: Subsídios para construção de uma sistemática de avaliação. Brasília: MEC, 2012.

BRASIL. Lei Federal 13.005 de 25 de junho de 2014. Plano Nacional de Educação. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13005.htm.

DIDONET, Vital. A avaliação na e da educação infantil. In: GUIMARÃES, Célia Maria; CARDONA, Maria João; OLIVEIRA, Daniele Ramos (Orgs.). Fundamentos e práticas da avaliação da educação infantil. Porto Alegre: Mediação, 2014, p. 339-355.

EDWARDS, Carolyn; FORMAN, George; GANDINI, Lella (orgs.). As cem linguagens da criança: a abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância. Tradução Dayse Batista. Porto Alegre: Editora Artes Médicas Sul Ltda., 1999.

EDWARDS, Carolyn; FORMAN, George; GANDINI, Lella (orgs.). Professor e aprendiz: parceiro e guia. O papel do professor. In: EDWARDS, Carolyn; GANDINI, Lella; FORMAN, George (orgs.). As cem linguagens da criança: a experiência de Reggio Emilia em transformação. V. 2. Tradução Marcelo de A. Almeida. Porto Alegre: Penso, 2016, p. 153-174.

FERRARI, Monica et al. Ideias orientadoras para a creche: a qualidade negociada. Tradução Maria de Lourdes Tambaschia Menon. Campinas: Autores Associados, 2012.

FONI, Augusta. A programação. In: BONDIOLI, Anna; MANTOVANI, Susanna (orgs.). Manual de educação infantil: de 0 a 3 anos – uma abordagem reflexiva. Tradução Rosana Severino Di Leone e Alba Olmi. 9. ed. Porto Alegre: ArtMed, 1998, p. 140-160.

FORMAN, George; FYFE, Brenda. Aprendizagem negociada pelo design, pela documentação e pelo discurso. In: EDWARDS, Carolyn; GANDINI, Lella; FORMAN, George (orgs.). As cem linguagens da criança: a experiência de Reggio Emilia em transformação. V. 2. Tradução Marcelo de Abreu Almeida. Porto Alegre: Penso, 2016, p. 249-271.

GANDINI, Lella; EDWARDS, Carolyn (orgs.). Bambini: a abordagem italiana à educação infantil. Tradução Daniel Etcheverry Burguño. Porto Alegre: Artmed, 2002.

GANDINI, Lella; EDWARDS, Carolyn (orgs.). Conectando-se por meio dos espações de cuidado e de aprendizagem. In: EDWARDS, Carolyn; GANDINI, Lella; FORMAN, George (Orgs.). As cem linguagens da criança: a experiência de Reggio Emilia em transformação. V.2. Tradução Marcelo de Abreu Almeida. Porto Alegre: Penso, 2016a, p. 315-336.

GANDINI, Lella; EDWARDS, Carolyn (orgs.). O Professor observador: a observação como uma ferramenta recíproca do desenvolvimento profissional. In: EDWARDS, Carolyn; GANDINI, Lella; FORMAN, George (orgs.). As cem linguagens da criança: a experiência de Reggio Emilia em transformação. Tradução Marcelo de Abreu Almeida. V. 2. Tradução Marcelo de Abreu Almeida. Porto Alegre: Penso, 2016b, p. 175-186.

GOBBI, Marcia Aparecida. Conhecimento histórico e crianças pequenas: Parques infantis e escola municipal de educação infantil. Educação em Revista. Belo Horizonte, v. 28, n. 02, p. 203-224, jun. 2012.

GODOI, E. G. Avaliação na educação infantil: um encontro com a realidade. Porto Alegre: Mediação, 2004.

GUIMARÃES, Célia Maria; OLIVEIRA, Daniele Ramos de. Estudos sobre avaliação na/da Educação Infantil: tendências das pesquisas e das práticas brasileiras (1996-2011). In: GUIMARÃES, Célia Maria; CARDONA, Maria João; OLIVEIRA, Daniele Ramos de. (orgs.). Fundamentos e práticas da avaliação na Educação Infantil. Porto Alegre: Editora Mediação, 2014. p. 93-110.

HOFFMANN, J. Avaliação mediadora: uma relação dialógica na construção do conhecimento. In: SOUZA, C. P. S. et al. (orgs.) Avaliação do rendimento escolar. São Paulo: FDE. Série Idéias; n. 22, p. 51-59, 1994.

HOFFMANN, J. Avaliação na pré-escola. 3. ed. Porto Alegre: Mediação, 1997.

HOFFMANN, J. Avaliação mediadora na educação infantil. In: GUIMARÃES, Célia Maria; CARDONA, Maria João; OLIVEIRA, Daniele Ramos (orgs.). Fundamentos e práticas da avaliação infantil. Porto Alegre: Mediação, 2014, p. 243-254.

KRAMER, S. Com a Pré-escola nas mãos: uma alternativa curricular para a educação infantil. 10. ed. São Paulo: Ática, 1997.

MOYLES, Janet. (org.). Fundamentos da Educação Infantil: enfrentando desafios. (Introdução). Tradução Maria Adriana Veríssimo Veronese. Porto Alegre: Artmed, 2010, p. 13-17.

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos. Educação Infantil: fundamentos e métodos. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos. Currículo na educação infantil: dos conceitos teóricos à prática pedagógica. In: SANTOS, Marlene Oliveira; RIBEIRO, Maria Izabel Souza (orgs.). Educação infantil: os desafíos postos. Salvador: Sooffset, 2014, p. 187-193.

OSTETTO, Luciana Esmeralda et al. Deixando marcas...: A prática do registro no cotidiano da educação infantil. 2. ed. Florianópolis: Cidade Futura, 2002.

PANIAGUA, Gema; PALACIOS, Jesús. Educação infantil: respostas educativas à diversidade. 2. ed. Tradução Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed, 2007.

ROSEMBERG, Fúlvia. Políticas de educação infantil e avaliação. Cadernos de Pesquisa, v. 43, n. 148, p. 44-75, jan./abr. 2013.

ROSSETTI-FERREIRA, M. C. et al. (Org.). Rede de significações: e o estudo do desenvolvimento humano. Porto Alegre: Artmed, 2004.

VIGOTSKI, Lev S. A formação social da mente. 6. ed. Tradução José Cipolla Neto; Luís S. Menna Barreto e Solange C. Afeche. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

VILLAS BOAS, Benigna Maria de Freitas. Construindo a avaliação formativa em uma escola de educação infantil e fundamental. In: VILLAS BOAS, Benigna Maria de Freitas et al. (orgs.). Portfólio, avaliação e trabalho pedagógico. Campinas: Papirus, 2004, p 114-143.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/educ.v21i2.5214

Direitos autorais 2019 Anna Carolina de Souza Feitoza, Fernanda Müller, Maria Fernanda Farah Cavaton

Rodapé - Educativa
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


EDUCATIVA | Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7771 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (04/09/2017 - 03/12/2019)

Fonte: Google Analytics.