A base orientadora da ação: seu uso intencional na formação de conceitos de língua portuguesa

Orlando Fernández Aquino, Lívia Mara Menezes Lopes

Resumo


Resumo: Neste trabalho, realiza-se uma análise da Base Orientadora da Ação (BOA). O uso da BOA ilustra-se com três aulas experimentais. Objetivo foi explicar os resultados do uso da BOA na formação de conceitos de Língua Portuguesa. A metodologia utilizada foi o experimento didático-formativo. Os sujeitos do estudo foram 35 alunos de nível médio. Conclui-se que, quando o estudo se organiza numa lógica dedutiva é a BOA é correta, os alunos apreendem rápido e se desenvolvem intelectual e afetivamente. Verificou-se que é possível criar formas de organização do processo de ensino-aprendizagem, tendentes a fazer avançar a qualidade da aprendizagem e do desenvolvimento cognitivo-afetivo dos alunos.

Palavras-chave: Base Orientadora da Ação. Formação de conceitos. Língua Portuguesa. Ensino Médio.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/educ.v19i2.5407

Direitos autorais 2017 Orlando Fernández Aquino, Lívia Mara Menezes Lopes

Rodapé - Educativa
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


EDUCATIVA | Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7771 | Qualis B1

Visitantes - (01/01/2006 - 18/06/2019)
País Usuários
Brasil 23.489
Estados Unidos 762
Portugual 366
França 293
Moçambique 204
Angola 184
Espanha 75
Reino Unido 67
México 46
Total 26.138

Fonte: Google Analytics.