POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS: FOCO NA INCLUSÃO DIGITAL

Barbara Coelho Neves, Maria Couto Cunha

Resumo


O artigo trata das políticas públicas implementadas na educação com enfoque para inclusão digital. Tem como objetivo abordar o conceito de política pública na educação considerando a inclusão digital. Para nortear a discussão, desenhou-se objetivos específicos que visaram destacar as principais linhas de pesquisa que abordam políticas públicas educacionais para a inclusão digital; discutir alguns aspectos contextuais do conceito de política pública na educação; e observar as políticas públicas voltadas para inclusão digital na educação. Trata-se de um artigo de reflexão elaborado com o apoio de dados bibliográficos e documentais, podendo ser considerado revisão de literatura em seu aspecto geral. Entretanto, contou com um breve levantamento em banco de dados (BTD-Capes) para identificar as principais linhas de pesquisa do tema na Educação. Tem como principal resultado a agenda das políticas públicas voltadas para a inclusão digital na Educação brasileira desde a década de 1970. Considera-se finalmente, a necessidade de se observar alguns elementos em torno das políticas públicas possíveis de problematização para continuidade da agenda de inclusão digital.

Palavras-chave


Políticas Públicas. Política Educacional. Inclusão Digital. Tecnologias. Public Policies. Educational politics. Digital inclusion. Technologies.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, D. S.; ALMEIDA, M. Z. C. M. de. Políticas educacionais: refletindo sobre seus significados. Educativa, Goiânia, v. 13, n. 1, p.1-15, dez. 2010. Disponível em: http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/educativa/article/view/1247/863. Acesso em: 15 ago. 2018.

ARAÚJO, T. C. D'Á. Tecnologias educacionais e o direito à educação. Revista Jus Navigandi, Teresina, ano 17, n. 3395, 17 out. 2012. Disponível em: https://jus.com.br/artigos/22819. Acesso em: 11 jun. 2017.

BETTEGA, M. H. S. Educação continuada na era digital. São Paulo: Cortez, 2004.

BOBBIO, N. Estado, governo e sociedade: para uma teoria geral da política. São Paulo: Paz e Terra, 2009.

BONETI, L. W. Políticas públicas por dentro. Ijuí: Unijui, 2011.

BONILLA, M. H.; PRETTO, N. Políticas brasileiras de educação e informática. 2000. Disponível em: http://www.faced.ufba.br/~bonilla/politicas.htm. Acesso em: maio 2017.

BRASIL. Congresso. Senado. Constituição (2012). Portaria no 68, de 9 de janeiro de 2012. Dispõe sobre a ampliação da participação das escolas do campo no Programa Nacional de Tecnologia Educacional - Prolnfo, por meio do Pronacampo. Portaria: Ministério da Educação. Brasília, DF: Dou, 9 jan. 2012. Disponível em: file:///C:/Users/1743719/Downloads/portaria_68_de_09_de_novembro_de_2012.pdf. Acesso em: 9 jun. 2017.

BRASIL. Lei no 9.394 de 20 de dezembro de 1996: Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Autor, 1996. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn1.pdf. Acesso em: 10 jun. 2017.

BRASIL. Senado Federal. Plano Nacional de Educação. Brasília, DF, 2014. Disponível em: http://fne.mec.gov.br/images/doc/pne-2014-20241.pdf. Acesso em: 5 dez. 2014.

BRASIL. Sociedade da informação: ciência e tecnologia para a construção da sociedade da informação no Brasil. Brasília, 2000.

CUNHA, M. C. A descentralização da gestão da educação e a munipalização do ensino como temas de estudos recentemente produzidos no Brasil. In: 29ª Reunião Anual da Anped, 2006, Caxambu. Anais... 29ª Reunião Anual da Anped - Educação, Cultura e Conhecimento na Contemporaneidade: Desafios e Compromissos. Caxambu: Anped, 2006.

EGLER, T. T. C.; COSTA, A. dos S. Vitorino. Interação social e tecnologia na escola. In: SAMPAIO, F. F; ELIA, M. da F. (Orgs.). Projeto um computador por aluno: pesquisas e perspectivas. Rio de Janeiro: NCE/UFRJ, 2012.

FERREIRA, A. B. de H. Aurélio século XXI: o dicionário da língua portuguesa. 3.ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

HOUAISS, A. Pequeno dicionário houaiss da língua portuguesa. Editora Moderna, 2015.

JEDUCA, Associação de Jornalistas de Educação - et al. Observatório do PNE. 2013. Disponível em: http://www.observatoriodopne.org.br/metas-pne/7-aprendizado-adequado-fluxo-adequado/estrategias/7-12-tecnologias-educacionais. Acesso em: 05 ago. 2018.

JENKINS, W. I. Policy analysis: A Political and Organizational Perspective. Oxford: Martin Robertson, 1978.

LEAL, W. P. Tecnologias e educação a distância nas políticas públicas de formação de professores: o habitus professoral na Fundação Universidade do Tocantins (Unitins). Soc. Estado, Brasília, v. 29, n. 1, p. 310-311, Apr. 2014.

LIBÂNEO, C. J.; OLIVEIRA, J. F. de; TOSCHI, M. S. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez, 2012.

LIMA, D. C. P. B; BATISTA, T. C. S. Plano nacional de educação e as tecnologias da informação e comunicação: trajetória e desafios para a formação dos jovens da educação básica. EccoS – Rev. Cient., São Paulo, n. 36, p. 85-101, jan./abr. 2015.

MADRID. Organización de Estados Iberoamericanos. OEI. Metodologia de análise de políticas públicas. 2014. Disponível em: https://www.oei.es/historico/salactsi/rdagnino1.htm. Acesso em: 15 ago. 2018.

MORAES, M. C. Informática educativa no Brasil: uma história vivida, algumas lições aprendidas. Revista Brasileira de Informática na Educação, n. 1, 1997.

NEVES, B. C. Tecnologia e mediação. Curitiba: CRV, 2017.

NEVES, B. C.; AGUIAR, N. C. Políticas públicas de informação e bibliotecas escolares: panorama brasileiro. Informação & Sociedade: Estudos, Paraiba, v. 27, n. 3, p.1-21, dez. 2017. Disponível em: http://www.periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/ies/article/view/33296. Acesso em: 14 ago. 2018.

NEVES, B. C; FREIRE, I. M.; SUAIDEN, E. J. Conscientização da metamorfose: discussão sobre os conceitos de inclusão e integração no âmbito da inclusão sociodigital. Comunicações, [s.l.], v. 25, n. 2, p.3-27, 30 jul. 2018. Instituto Educacional Piracicabano da Igreja Metodista. Disponível em: http://dx.doi.org/10.15600/2238-121x/comunicacoes.v25n2p3-27.

OECD - Organization for Economic Co-Operation and Development. Understanding the digital divide. 2012. Disponível em: http://www.oecd.org. Acesso em: 10 jun. 2017.

PRETTO, N. L. Políticas públicas educacionais no mundo contemporâneo. Liinc em Revista, v.2, n.1, março 2006, p. 8-21. Disponível em: http://www.ibict.br/liinc. Acesso em: jun. 2017.

RUA, M. G. Análise de políticas públicas: conceitos básicos. In: RUA, M. G; CARVALHO, M. I. V. (Org.). O estudo da política: tópicos selecionados. Brasília: Paralelo 15, 1998. Coleção Relações Internacionais e Política. Disponível em: http://vsites.unb.br/ceam/webceam/nucleos/omni/observa/downloads/pol_publicas.PDF. Acesso em: 24 fev. 2017.

RUA, M. G.; CARVALHO, M. I. V. Análise das políticas públicas: conceitos. Revista CTS, n. 15, v. 5, set. 1998.

SECCHI, L. Políticas Públicas: conceitos, esquemas de análise, casos práticos. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

SIMEC. Painel de Controle do MEC. 2018. MEC. Disponível em: http://painel.mec.gov.br. Acesso em: 05 ago. 2018.

TAJRA, S. F. Informática na educação: novas ferramentas pedagógicas para o professor na atualidade. São Paulo: Érica, 2013.

ZUIN, A. A. S. O Plano Nacional de Educação e as tecnologias de informação e comunicação. Educ. Soc., Campinas, v. 31, n. 112, p. 961-980, jul.-set. 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/educ.v20i3.6840

Direitos autorais 2018 Barbara Coelho Neves, Maria Couto Cunha

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


EDUCATIVA | Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7771 | Qualis B1

Visitantes - (01/01/2006 - 20/11/2018)
País Usuários
Brasil 15.020 - 90,19%
Estados Unidos 395 - 2,37%
França 284 - 1,71%
Portugal 214 - 1,29%
Moçambique 112 - 0,67%
Angola 106 - 0,64%
Espanha 48 - 0,29%
Reino Unido 47 - 0,28%
Alemanha 32 - 0,19%
Total 16.577

Fonte: Google Analytics