ANÁLISE CURRICULAR DO CONTRATURNO NA ESCOLA DE TEMPO INTEGRAL EM MINAS GERAIS

Helena Maria dos Santos Felício

Resumo


Este trabalho tem por objetivo analisar a organização curricular do contraturno da Escola de Tempo Integral (ETI), em Minas Gerais, com o intuito de perceber nele os indicadores que apontam para a dimensão de uma Educação Integral. A partir da concepção de Educação Integral, a pesquisa privilegiou a abordagem qualitativa pela qual foi possível perceber que, apesar dos benefícios oferecidos aos educandos que permanecem na escola em tempo integral, o currículo do contraturno, no projeto ETI é organizado na perspectiva do reforço escolar, distanciando dos objetivos propostos pela Educação Integral.

Palavras-chave


Currículo. Escola de Tempo Integral. Educação Integral. Curriculum. Full-Time Schools. Integrated Education.

Texto completo:

PDF

Referências


ALONSO, Luísa; SOUSA, Francisco. Integração e relevância curricular. In: SOUZA, Francisco; ALONSO, Luísa e ROLDÃO, Maria do Céu. Investigação para um currículo relevante. Coimbra: Almedina, 2013.

BORGES, Jesus Rosemar. Levantamento da situação escolar em sistemas municipais de ensino do Rio Grande do Sul: uma determinação política de financiamento do ensino público e/ou ferramentas de gestão? 2014. 304 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS, 2014.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Dispõe sobre as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996.

BRASIL. Programa Mais Educação: gestão intersetorial no território. Brasília:

Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2009.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 de junho de 2014.

CORDEIRO, Célia Maria Ferreira. Anísio Teixeira, uma “visão” do futuro. Estudos Avançados, São Paulo, v. 15, n. 42, ago. 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010340142001000200012&lng=en&nrm=iso.

CHIZZOTTI, Antonio. Pesquisa Qualitativa em Ciências Humanas e Sociais. Petrópolis: Vozes, 2006.

COELHO, L. M. Formação continuada do professor e tempo integral: uma parceria estratégica na construção da educação integral. In: COELHO, L. M.; CAVALIERE, A. M. V. Educação brasileira e(m) tempo integral. Petrópolis: Vozes, 2002.

COELHO, L. M. Educação integral: concepções e práticas na educação fundamental. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPEd, 27. Caxambu, 2004. Disponível em: http://www.anped.org.br/reunioes/27/gt13/t137.pdf.

GUARÁ, Isa Maria F. R. Educação e desenvolvimento integral: articulando saberes na escola e além da escola. Em Aberto, Brasília, v. 22, n. 80, p. 1-165, abr. 2009.

GONÇALVES, Antônio Sérgio. Reflexões sobre educação integral e escola de tempo integral. Cadernos Cenpec. n.º 2 – Educação Integral – 2º semestre 2006.

HORA, D. M.; COELHO, L. M. Diversificação Curricular e Educação Integral. 2004.

LAVILLE, Christian; DIONNE, Jean. A Construção do Saber: manual de metodologia da pesquisa em Ciências Humanas. Porto Alegre: Artmed; Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.

SÁ, Jauri dos Santos; WERLE, Flávia Obino Corrêa. Infraestrutura Escolar e Espaço Físico em Educação: O Estado da Arte. Cadernos de Pesquisa, v. 47, n. 164, p. 386-413, abr./jun. 2017.

MINAS GERAIS. SEE/MG. Escola de Tempo Integral. SEE/MG, 2009.

SZYMANSKI, H.; ALMEIDA, L. R. de; PRANDINI, R. C. A. R. Perspectivas para Análise de Entrevistas. In: SZYMANSKI, Heloisa (org.). A Entrevista na Pesquisa em Educação: A Prática Reflexiva. Brasília: Líber Livro Editora, 2004.

TITTON, Maria Beatriz Pauperio. Profissionais da Educação Integral: que atores e que formação entram nesse jogo? Salto para o Futuro. Ano XVIII, boletim 13, agosto de 2008.

VIANNA, Heraldo Marelim. Pesquisa em Educação – a observação. Brasília: Plano Editora, 2003.

VIÑAO-FRAGO. Da história das disciplinas escolares à história da cultura escolar: uma trajetória de pesquisa. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 27, p. 57-69, dez. 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/educ.v20i3.6867

Direitos autorais 2018 Helena Maria dos Santos Felício

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


EDUCATIVA | Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7771 | Qualis B1

Visitantes - (01/01/2006 - 20/11/2018)
País Usuários
Brasil 15.020 - 90,19%
Estados Unidos 395 - 2,37%
França 284 - 1,71%
Portugal 214 - 1,29%
Moçambique 112 - 0,67%
Angola 106 - 0,64%
Espanha 48 - 0,29%
Reino Unido 47 - 0,28%
Alemanha 32 - 0,19%
Total 16.577

Fonte: Google Analytics