Conhecimentos dos estudantes de medicina a respeito da triagem citológica do câncer de colo uterino

Rosane Ribeiro Figueiredo Alves, Tábata Silva de Oliveira Silva Oliveira, Naiane Quintilhano Faleiro

Resumo


Introdução. O câncer do colo uterino, apesar de importante problema de saúde pública, é passível de prevenção. O Ministério da Saúde faz recomendações para o rastreamento citológico, publicadas em 2011 e atualizadas em 2016. Objetivo. Avaliar o conhecimento dos estudantes de medicina sobre a epidemiologia e rastreamento do câncer do colo uterino. Métodos. Estudo de corte transversal, realizado de setembro de 2017 a junho de 2018, envolvendo alunos do curso de medicina da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO). Os dados foram obtidos por meio de questionário, contendo 21 questões, com duas alternativas cada, respondido sem consulta. O conhecimento dos alunos foi categorizado em nível 1 quando menos de 50% das respostas corretas, nível 2 com 51% a 70% corretas e nível 3, com 71% a 100% corretas. Analisou-se a diferença entre os níveis de conhecimento considerando, categoria 1 alunos do quinto ano do curso e categoria 2 do sexto ano. Aplicou-se o teste qui-quadrado (X2) para análise comparativa. As diferenças foram consideradas estatisticamente significativas com o valor de p menor que 0,05.  Resultados. A média de acertos acima de 70% foi significativamente maior para alunos do sexto ano (p< 0,001). Das questões sobre a epidemiologia, rastreio de doenças e desempenho da triagem citológica, a frequência de acertos entre alunos do quinto e sexto ano não apresentou diferença significativa. Das dez questões sobre conhecimentos das Diretrizes Brasileiras para Rastreio do Câncer de Colo Uterino, houve diferença estatisticamente significativa nas questões número catorze, dezessete, dezenove e vinte, com valores de p 0,017; 0,017; 0,006; e menor que 0,001, respectivamente. O percentual de acertos para a maioria das questões foi menor que 70%. Conclusão. Alunos do sexto ano apresentaram nível de conhecimento significantemente maior comparado aos alunos do quinto ano, embora insuficiente para ambos.

 

Palavras-chave: câncer de colo de útero. Exame colpocitológico. Estudantes de medicina.

 


Palavras-chave


âncer de colo de útero. Exame colpocitológico. Estudantes de medicina.

Texto completo:

PDF

Referências


WORLD HEALTH ORGANIZATION. Globocan: Estimated Cancer Incidence, Mortality and Prevalence in 2012.

TORRE, L. A.; SIEGEL, R. L.; WARD, E. M.; JEMAL, A. Global Cancer Incidence and Mortality Rates and Trends--An Update. Cancer Epidemiology Biomarkers & Prevention, v. 25, n. 1, p. 16–27, 1 jan. 2016.

INCA. Estimativa 2014: incidência de câncer no Brasil.

CHELIMO, C.; WOULDES, T. A.; CAMERON, L. D.; ELWOOD, J. M. Risk factors for and prevention of human papillomaviruses (HPV), genital warts and cervical cancer. Journal of Infection, v. 66, n. 3, p. 207–217, mar. 2013.

WALBOOMERS, J. M. M.; JACOBS, M. V.; MANOS, M. M.; BOSCH, F. X.; KUMMER, J. A.; SHAH, K. V.; SNIJDERS, P. J. F.; PETO, J.; MEIJER, C. J. L. M.; MUNOZ, N. Human papillomavirus is a necessary cause of invasive cervical cancer worldwide. The Journal of Pathology, v. 189, n. 1, p. 12–19, set. 1999.

ARBYN, M.; CASTELLSAGUE, X.; DE SANJOSE, S.; BRUNI, L.; SARAIYA, M.; BRAY, F.; FERLAY, J. Worldwide burden of cervical cancer in 2008. Annals of Oncology, v. 22, n. 12, p. 2675–2686, 1 dez. 2011

SCHIFFMAN, M.; HERRERO, R.; DESALLE, R.; HILDESHEIM, A.; WACHOLDER, S.; CECILIA RODRIGUEZ, A.; BRATTI, M. C.; SHERMAN, M. E.; MORALES, J.; GUILLEN, D.; ALFARO, M.; HUTCHINSON, M.; WRIGHT, T. C.; SOLOMON, D.; CHEN, Z.; SCHUSSLER, J.; CASTLE, P. E.; BURK, R. D. The carcinogenicity of human papillomavirus types reflects viral evolution. Virology, v. 337, n. 1, p. 76–84, jun. 2005

PETO, J.; GILHAM, C.; FLETCHER, O.; MATTHEWS, F. E. The cervical cancer epidemic that screening has prevented in the UK. The Lancet, v. 364, n. 9430, p. 249–256, jul. 2004.

NANDA, K.; MCCRORY, D. C.; MYERS, E. R.; BASTIAN, L. A.; HASSELBLAD, V.; HICKEY, J. D.; MATCHAR, D. B. Accuracy of the Papanicolaou test in screening for and follow-up of cervical cytologic abnormalities: a systematic review. Annals of internal medicine, v. 132, n. 10, p. 810–9, 16 maio 2000.

MARTINS, L. F. L.; THULER, L. C. S. .; VALENTE, G. V. Cobertura do exame de Papanicolaou no Brasil e seus fatores determinantes: uma revisão sistemática da literatura. Rev Bras Ginecol Obstet, v. 27(8), n. 21, p. 485–92, 2005.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diretrizes Brasileiras para o Rastreamento Do Câncer Do Colo Do Útero. [S.l: s.n.], 2016. v. XXXIII. Disponível em: .

DERCHAIN, S. F. M.; LONGATTO FILHO, A.; SYRJANEN, K. J. Neoplasia intra-epitelial cervical: diagnóstico e tratamento. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v. 27, n. 7, p. 425–33, jul. 2005.

RIBEIRO, A. A.; COSTA, M. C.; ALVES, R. R. F.; VILLA, L. L.; SADDI, V. A.; CARNEIRO, M. A. dos S.; ZEFERINO, L. C.; RABELO-SANTOS, S. H. HPV infection and cervical neoplasia: associated risk factors. Infectious Agents and Cancer, v. 10, n. 1, p. 16, 26 dez. 2015.

FERREIRA, D. A. V.; ARANHA, R. N.; DE SOUZA, M. H. F. O. Autoavaliação de egressos quanto à capacitação para práticas de controle do câncer. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto, v. 14, n. 1, 31 mar. 2015.

SOLOMON, D.; DAVEY, D.; KURMAN, R.; MORIARTY, A.; O’CONNOR, D.; PREY, M.; RAAB, S.; SHERMAN, M.; WILBUR, D.; WRIGHT, T.; YOUNG, N. The 2001 Bethesda System: terminology for reporting results of cervical cytology. Jama,v. 287, n. 16, p. 2114–9, 2002.

OKAMOTO, C. T.; FARIA, A. A. B.; SATER, A. C.; DISSENHA, B. V.; STASIEVSKI, B. S. Perfil do Conhecimento de Estudantes de uma Universidade Particular de Curitiba em relação ao HPV e Sua Prevenção. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 40, n. 4, p. 611–620, dez. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/evs.v46i1.6443

Rodapé - Educativa
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


EVS | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-781X | Qualis B3

Visitantes - (05/09/2017 - 21/10/2019)
País Usuários
Brasil 51.961
Estados Unidos 1.284
Portugal 818
França 246
Moçambique 238
Angola 171
Reino Unido 61
México 61
Espanha 60

Fonte: Google Analytics.