O JOVEM NA LITERATURA ACADÊMICA: ELEMENTOS PARA UM ESTADO DA ARTE DOS ESTUDOS DA JUVENTUDE

Allan Novaes

Resumo


O presente artigo consiste em uma revisão bibliográfica dos Estudos da Juventude, a partir de abordagens e olhares da História dos Jovens e da Sociologia da Juventude. Para reunir elementos de um estado da arte do campo de estudos da juventude, o artigo divide-se em três partes: na primeira, apresenta-se a importância de se estudar e compreender a juventude a partir da história e da sociologia; na segunda, constrói-se um sucinto panorama dos estudos da juventude e suas ênfases no decorrer da história; e, na terceira, elaboram-se reflexões sobre algumas contribuições dos estudos acadêmicos sobre a juventude para a realidade do trabalho com o jovem.

YOUNG PEOPLE IN ACADEMIC LITERATURE: A LITERATURE REVIEW OF YOUTH STUDIES


This article consists of a bibliographical review of Youth Studies, based on approaches and perspectives of Youth History and Sociology of Youth. In order to that, the article is divided into three parts: first, the importance of studying and understanding youth from history and sociology; secondly, a brief overview of Youth Studies and its emphases and approaches; third, reflections on some contributions of Youth Studies to the reality of working with young people.

Palavras-chave


Estudos da Juventude; Sociologia da Juventude; História dos Jovens; Juventude. Youth Studies; Sociology of Youth; Youth History; Youth.

Texto completo:

PDF

Referências


ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC Editora, 1981.

BOURDIEU, Pierre. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983.

CASSAB, Clarice. Refazendo percursos: considerações acerca das categorias jovem e juventude no Brasil. Perspectiva, v. 34, n. 128, p. 39-51.

CATANI, Afrânio; GILIOLI, Renato. Culturas juvenis: múltiplos olhares. São Paulo: Edunesp, 2008.

DAYRELL, Juarez. A música entra em cena: o rap e o funk na socialização da juventude. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 2005.

DEBERT, Guita. A Reinvenção da velhice: socialização e processos de reprivatização do envelhecimento. São Paulo: Edusp; Fapesb, 2004.

FEITOZA, Frederico. Seletividade teenager: a sensibilidade eugênica em imagens do High School. Cadernos de comunicação, v. 16, n. 2, , p. 65-85, jul.-dez. 2012.

FOGAÇA, Maria Cristina. Reflexões sobre o envelhecimento: Faculdade Aberta para Terceira Idade. São Paulo: LTR, 2011.

GENNEP, Arnold. Los ritos de paso. España: Taurus, 1986.

GROPPO, Luís Antonio. Dialética das juventudes modernas e contemporâneas. Revista de Educação do Cogeime, ano 13, n. 25, , p. 9-22, dez. 2004.

LEÓN, Oscar. Adolescência e juventude: das noções às abordagens. In: FREITAS, Maria Virgínia (Org.). Juventude e adolescência no Brasil: referências conceituais. São Paulo: Ação Educativa, 2005. p. 9-18.

LEVI, Giovanni; SCHMITT, Jean-Claude. Introdução. In: LEVI, Giovanni; SCHMITT, Jean-Claude (O.). História dos jovens 1: da antiguidade à era moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. p. 7-18.

MANNHEIM, Karl. O problema da juventude na sociedade moderna. In: BRITTO, Sulamita. Sociologia da Juventude I. Rio de Janeiro: Zahar, 1968, p. 69-94.

MANNHEIM, Karl. El problema de las generaciones. Revista Española de Investigaciones Sociológicas, n. 62, p. 193-242, 1993.

PAIS, José. A construção sociológica da juventude – alguns contributos. Análise Social, vol. XXV, n. 105-106, p. 139-165, 1990.

PASTOUREAU, Michel. Os emblemas da juventude: atributos e representações dos jovens na imagem medieval. In: LEVI, Giovanni; SCHMITT, Jean-Claude (Orgs.). História dos jovens 1: da antiguidade à era moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. p. 245-263.

PIAGET, Jean. Epistemologia genética. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

SCHNAPP, Alain. O mundo romano. In: LEVI, Giovanni; SCHMITT, Jean-Claude (Orgs.). História dos jovens 1: da antiguidade à era moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. p. 19-57.

SAVAGE, Jon. A criação da juventude: como o conceito de teenage revolucionou o século 20. Rio de Janeiro: Rocco, 2009.

SIGSWORTH, Eric (Ed.). In Search of Victorian Values: Aspects of Nineteenth-century Thought and Society. Manchester: Manchester University Press, 1988.

SILVA, Ana Cristina. Juventude de papel: representação juvenil na imprensa contemporânea. Maringá: Editora da UEM, 1999.

SPOSITO, Marilia. O Estado da arte sobre a juventude na pós-graduação brasileira: Educação, Ciências Sociais e Serviço Social (1999-2006), Volumes 1 e 2. Belo Horizonte: Argumentum, 2009.

TAVARES, Breitner. Sociologia da juventude: da juventude desviante ao protagonismo jovem da Unesco. Sociedade e cultura, vol. 15, n. 1, p. 181-191, jan.-jun. 2012.

TRASI, Maria; MALVASI, Paulo. Violentamente pacíficos: desconstruindo a associação juventude e violência. São Paulo: Cortez, 2013.

WAISELFISZ, Julio Jacobo. Relatório de desenvolvimento juvenil 2003. Brasília: Unesco, 2004.

WELLER, Wivian. Karl Mannheim: um pioneiro da Sociologia da Juventude. Anais do XIII Congresso Brasileiro de Sociologia, 29 de maio a 1 de junho de 2007, UFPE, Recife-PE, p. 1-15.

WELLER, Wivian. A atualidade do conceito de gerações de Karl Mannheim. Sociedade e Estado, vol. 25, n. 2, , p. 205-224, maio-ago. 2010.

WHEISHEMER, Nilson. Apontamentos para uma sociologia da juventude. Revista Cabo-Verdiana de Ciências Sociais, ano 1, n. 1, jan.-jun. 2013.

WILSON, Ben. The Making of Victorian Values: Decency and Dissent in Britain, 1789-1837. New York: Penguin Books, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v28i2.6001

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis B3

Visitantes - (01/01/2006 - 08/11/2018)

País Usuários
Brasil 19.140 - 89,25%
Estados Unidos 732 - 3,41%
Portugal 385 - 1,80%
França 274 - 1,28%
Moçambique 151 - 0,70%
Angola 98 - 0,46%
Índia 59 - 0,28%
Peru 54 - 0,25%
Chile 50 - 0,23%
Total 21.250

Fonte: Google Analytics