PATRIARCALISMO ENTRINCHEIRADO E CRIMES DE HONRA: HISTÓRIAS DE MULHERES QUE SUPERARAM A VIOLÊNCIA DE GÊNERO E SE TORNARAM SÍMBOLOS DOS DIREITOS HUMANOS

Murilo Chaves Vilarinho

Resumo


A violência contra a mulher ainda é uma consequência nefanda presente no mundo. Em áreas de patriarcalismo entrincheirado como Paquistão, Sudão, Senegal, Irã, o corpo da mulher é alvo de agressão constante, cuja argumentação se baseia no tradicionalismo social. Há um intenso debate que envolve o relativismo cultural e a postura ocidental iluminista de liberdade; todavia, mulheres biografadas oriunda dessas comunidades alegam que a violência experienciada, por mais que seja tácita por parte dessas, não era sentida como algo normal ou tradicional. O desejo pela liberdade e o pela justiça perfaziam o imaginário de muitas mulheres vítimas de crimes de honra, muitas das quais se rebelaram contra os maus tratos de seus corpos e tornaram-se ícones da resistência e da luta pela igualdade de gênero, falam-se da paquistanesa Mukhtar Mai e da senegalesa Kady Koita.

ENTRENCHED PATRIARCHALISM AND HONOUR CRIMES: THE HISTORIES OF WOMEN WHO OVERCAME GENDER VIOLENCE AND BECAME ICONS TO HUMAN RIGHTS

Violence against woman is still a terrible consequence present around the world. In several areas where entrenched patriarchalism is real, for example, in Pakistan, Sudan, Senegal, Iran, woman’s body is target to be violated in a constant way. It has been justified by means of social traditionalism. So, this text seeks to explain through women’s biographies who were victims of honor crimes (Pakistani Mukhtar Mai and Senegalese Kady Koita) the violence of gender and its overcoming. The aim is to think of abuses and oppression, which were experienced by these women from communities where the patriarchal essence is still imperative. This discussion lays on biographies, which were read in a hermeneutic In methodological terms, firstly, it is sought to present the meaning of patriarchalism. After this, some biographies will be showed and, finally, thought in the light of theories originated from areas such as gender, violence, cultural relativism and human rights.

Palavras-chave


Violência contra a mulher; Liberdade; Patriarcalismo entrincheirado; Resistência. Violence against Women; Liberty; Entrenched Patriarchalism; Resistance.

Texto completo:

PDF

Referências


BEAUVOIR, Simone. Moral da ambiguidade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970.

BEAUVOIR, Simone. O segundo sexo. 9. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.

BUTLER, Judith. Fundamentos contingentes: o feminismo e a questão do pós-modernismo. Cadernos Pagu, n. 11, p. 11-42, 1998.

KOITA, Khady. Mutilada. Tradução de Rejane Janowitzer. Colaboração de Marie-Thérèse Cuny. Rio de Janeiro: Rocco, 2006.

MAI, Mukhtar. Desonrada. Tradução de Clovis Marques. Colaboração de Marie-Thérèse Cuny. Rio de Janeiro: BestSeller, 2007.

ONUBR. No Dia dos Direitos Humanos, agências da ONU pedem fim da violência contra mulheres. Disponível em: https://nacoesunidas.org/no-dia-dos-direitos-humanos-agencias-da-onu-pedem-fim-da-violencia-contra-mulheres/. Acesso em: 03 fev. 2018.

PIOSEVAN, Flávia. (2006). Direitos Humanos e o Direito Constitucional Internacional. Disponível em:< http://www.trf4.jus.br/trf4/institucional/institucional.php?no=391>. Acesso em: 10 jan. 2018.

SPIVAK, Gayatri C. Can the Subaltern Speak. In: WILLIAMS, Patrick (Ed.). Colonial discourse and post-colonial theory: a reader. New York: Columbia University Press, 1994. p. 66-111.

THERBORN, Goran. Sexo e poder: a família no mundo 1900-2000. Tradução de Elisabete Dória Bilac. São Paulo: Contexto, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v28i2.6205

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis B3

Visitantes - (01/01/2006 - 08/11/2018)

País Usuários
Brasil 19.140 - 89,25%
Estados Unidos 732 - 3,41%
Portugal 385 - 1,80%
França 274 - 1,28%
Moçambique 151 - 0,70%
Angola 98 - 0,46%
Índia 59 - 0,28%
Peru 54 - 0,25%
Chile 50 - 0,23%
Total 21.250

Fonte: Google Analytics