MULHER E MERCADO DE TRABALHO: É POSSÍVEL UMA EQUIDADE DE GÊNERO?

Marusa Bocafoli da Silva

Resumo


O presente artigo se propõe a analisar à luz da teoria de gênero, o vínculo existente entre trabalho remunerado e trabalho não remunerado e sua relação com o posicionamento da mulher no mercado de trabalho. Entendendo por trabalho não remunerado a reprodução e o serviço doméstico. É também objeto de análise desse artigo refletir sobre os condicionantes culturais que se tornam obstáculos para que as mulheres acessem, construam e consolidem suas carreiras, questionando se é possível o direito mudar a cultura.

Palavras-chave


Gênero; Trabalho remunerado; Trabalho não remunerado; Divisão sexual do trabalho; Mercado de trabalho.

Texto completo:

PDF

Referências


BECALLI, Bianca. Il Lavoro femminile in Italia: linee di tendenza dell' analisi sociologica. Sociologia del Lavoro, n 35/36, p. 187-99, 1989.

BOURDIEU, Pierre. A Dominação Masculina. 10.ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011.

DONZELOT, Jacques. A Polícia das Famílias. 2.ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1986.

FAGAN, Colette. O´REILLY, Jacqueline. RUBERY, Jill. O tempo parcial na Holanda, na Alemanha e no Reino Unido: um novo contrato social entre os sexos? In: MARUANI, Margaret; HIRATA, Helena. As Novas Fronteiras da Desigualdade: homens e mulheres no mercado de trabalho. São Paulo: SENAC, 2003.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1978.

FRAISSE, Genevive. Domesticidade, empregos de serviço e democracia. In: MARUANI, Margaret; HIRATA, Helena (Orgs.). As Fronteiras da Desigualdade: homens e mulheres no mercado de trabalho. São Paulo: SENAC, 2003.

GÉLIS, Jacques. A individualização da criança. In: ARIÈS, Philippe; DUBBY, Georg (Orgs.). História da Vida Privada: da renascença ao século das luzes. São Paulo: Companhia das Letras, 1991. V.3, p. 311-329.

HIRATA, Helena; KERGOAT, Danièlle. A divisão sexual do trabalho revisitada. In.: MARUANI, Margaret; HIRATA, Helena (Orgs). As Novas Fronteiras da Desigualdade: homens e mulheres no mercado de trabalho. São Paulo: SENAC, 2003.

HIRATA, Helena; KERGOAT, Danièlle. Vida reprodutiva e produção: família e empresa no Japão, 2003.

KERGOAT, Danièlle. Relações sociais de sexo e divisão sexual do trabalho. In: LOPES, Marta; MEYER, Dagmar; WALDOW, Vera (Orgs.). Gênero e Saúde, Artes Médicas, Porto Alegre, p. 19-27, 1996.

MELO, Hildete Pereira de; CONSIDERA, Claudio Monteiro; DI SABBATO, Alberto. Os afazeres domésticos contam. Revista Economia e Sociedade, Campinas, v. 16, n. 3(31), Dez. 2007.

ONU MULHERES. Mais igualdade para as mulheres brasileiras: caminhos de transformação econômica e social. Brasília, 2016. Disponível em: .

PERROT, Michele. As mulheres ou os silêncios da história. São Paulo: Edusc, 2005.

PERROT, Michele. Mulheres públicas. São Paulo: Edunesp, 1998.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Emílio ou da educação. São Paulo: M. Fontes, 2004.

SILVA, Marinete dos Santos. Costureira, Artista, Prostituta ou Cidadã? As Francesas no Espaço Público Carioca no Século XIX e suas Vozes Dissonantes. In: FARIA, Lia; LÔBO, Yolanda (Orgs.). Vozes femininas do império e da república: caminhos e identidades. Rio de Janeiro: Quartet, 2013.

SCHIEBINGER, Londa. O feminismo mudou a ciência? Bauru-SP: Edusc, 2001.

SILBAUGH, Katharine. Convirtiendo el trabajo em amor: el trabajo doméstico y el derecho. In: FINEMAN, Martha et al. Justicia, género y trabajo. Buenos Aires: Libraria, 2012.

SORJ, Bila. Trabalho remunerado e trabalho não-remunerado. In: VENTURI, Gustavo; RECAMÁN, Marisol; OLIVEIRA, Suely (Orgs.). A mulher brasileira nos espaços público e privado. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2004.

SOUZA-LOBO, Elizabeth. O trabalho como linguagem: o gênero do trabalho. ANPOCS, Porto Alegre, 1990.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v28i3.6410

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis B3

Visitantes - (01/01/2006 - 08/11/2018)
País Usuários
Brasil 19.140 - 89,25%
Estados Unidos 732 - 3,41%
Portugal 385 - 1,80%
França 274 - 1,28%
Moçambique 151 - 0,70%
Angola 98 - 0,46%
Índia 59 - 0,28%
Peru 54 - 0,25%
Chile 50 - 0,23%
Total 21.250

Fonte: Google Analytics