MUSICOTERAPIA E ESTRESSE: ESTUDO DE CASO COM UM CUIDADOR FAMILIAR DE PACIENTE COM INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA

Cláudia Regina de Oliveira Zanini, Helenyce Veloso Sousa Alves, Alessandra Vitorino Naghettini

Resumo


O cuidador de paciente com Insuficiência Renal Crônica (IRC) participa das emoções cotidianas e de fatores estressores que a doença traz consigo. Afetado diretamente com o estresse, pode somatizar doenças que interferem sua qualidade de vida. Esta pesquisa tem como objetivo verificar o efeito da Musicoterapia no estresse e nas estratégias de enfrentamento a partir de um cuidador de pacientes adultos com IRC. Trata-se de um estudo de caso, a partir de um atendimento grupal, com abordagem quali-quantitativa. Os atendimentos aos cuidadores foram realizados na sala de espera no período em que os cuidadores aguardavam os pacientes em sessão de hemodiálise, duas vezes por semana, com duração de 45 a 60 minutos cada intervenção, por seis semanas seguidas, em uma instituição especializada em pacientes renais crônicos. A coleta de dados se deu através de registros audiovisuais, descritivos, relatos verbais e da aplicação do Inventário de Sintomas de Stress para Adultos de Lipp (ISSL), feita por uma psicóloga no momento inicial da coleta de dados e no momento final, após o período de intervenções musicoterapêuticas. Os resultados revelaram que a Musicoterapia possibilitou um canal de comunicação e expressão das emoções do cuidador, além de que facilitou a ressignificação de conteúdos que geravam desconforto. Embora o cuidador não tenha apresentado estresse, foi possível observar o processo musicoterapêutico do mesmo mediante os conteúdos trazidos através do não verbal e do verbal, frente a situações estressoras, além das estratégias de enfrentamento que utilizou durante o período dos atendimentos. Considerou-se que a Musicoterapia pode contribuir para a elaboração de conteúdos que se vinculam ao estresse e acometem os cuidadores de pacientes adultos com IRC, pois auxilia na aquisição de estratégias de enfrentamento de estresse para o seu benefício.

Palavras-chave


Musicoterapia; Estresse; Cuidadores; Pacientes em Hemodiálise.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTONIETTI, C. C. Percepção de estresse e estilo de coping dos pacientes no período pré-procedimento colonoscópico. TCC (Monografia do Programa de Pós-Graduação da Escola de Enfermagem) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

ARAÚJO, I. M. B. Cuidar da família com um idoso dependente: formação em enfermagem. Tese (Doutoramento em Ciências de Enfermagem do Instituto Ciências Médicas Abel Salazar) – Universidade Porto, Porto, 2010.

BATISTA, S. M.; FRANÇA, R. M. Família de pessoas com deficiência - Desafios e superação. Revista de divulgação técnico-científica do ICPG, v. 3, n. 10, jan./jun. 2007.

BRUSCIA, K.E. Definindo musicoterapia. 2.ed. Rio de Janeiro: Enelivros, 2000.

BRUSCIA, K. E. Musicoterapia. Leopoldino: Definindo Barcelona Publishers, 2016.

CARRETERO, S.; GARCÉS, J.; RODENAS, F.; SANJOSE, V. The informal caregiver's burden of dependent people: Theory and empirical review. Archives of gerontology and geriatrics, v. 49, n. 1, p. 74-79, 2009.

COUTINHO N. P. S.; TAVARES M. C. H. Atenção ao paciente renal crônico, em hemodiálise, sob a ótica do usuário. Cad. Saúde Colet., Rio de Janeiro, v. 19, n. 2, p. 232-239, 2011.

CRAVEIRO DE SÁ, L. A teia do tempo e o autista – música e musicoterapia. Goiânia: Ed. da UFG, 2003.

CUNHA, R. Escuta terapêutica: sons, silêncios e palavras. In: III FÓRUM PARANAENSE DE MUSICOTERAPIA. II ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM MUSICOTERAPIA. Organização AMT/PR. Anais... Curitiba, 2001.

FARRA, R. A. D.; LOPES P. T. C. Métodos Mistos De Pesquisa Em Educação: Pressupostos Teóricos. Rev. Nuances: estudos sobre Educação, Presidente Prudente, São Paulo, v. 24, n. 3, p. 75, 2013.

FERNANDES, J. J. B. R. Cuidar no domicílio: a sobrecarga do cuidador familiar. Dissertação (Mestrado em Cuidados Paliativos da Faculdade de Medicina) – Universidade de Lisboa, 2009. Disponível em: < http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/1088/1/20820_ulsd57600_tm.pdf >. Acesso em: 14 fev. 2016.

GA GAYOTTO, S. Personal control and stress and coping processes: A theoretical analysis. Journal of Personality and Social Psychology, v. 46, p. 839-852, 1984.

GAYOTTO, M. L. Conceitos básicos que facilitam a compreensão do início de um grupo. Artigo referente ao curso de especialização em Coordenação de grupos operativos do Instituto Pichon-Rivière. [S.l.: s.n.], 1992.

GONZÁLEZ REY, F. L. O social na psicologia e a psicologia social: a emergência do sujeito. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

LAGE, M. I. G. S. Avaliação dos cuidados informais aos idosos: estudo do impacto do cuidado no cuidador informal. Tese (Doutoramento em Ciências de Enfermagem do Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar) – Universidade do Porto. 2007.

LIPP, M. E. N. Manual do Inventário de Sintomas de Stress para Adultos de Lipp (ISSL). 3a Ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2015.

LIPP, M. E. N. O percurso do stress: suas etapas, Publicação de artigos científicos. 2012. Disponível em: < http://www.estresse.com.br/publicacoes/o- percurso-do-stress-suas-etapas/ >. Acesso em: 11 jul. 2016.

LOPEZ M.; STUHLER D. G. Atendimento psicológico a mães de crianças com doença crônica: Relato de experiência. Psicol. Argum., v. 26, n. 55, p. 341-347, out./dez. 2008. Disponível em: < http://www.revistarene.ufc.br/revista/i

ndex.php/revista/article/viewFile/1072/pdf >. Acesso em: 17 jun. 2015.

MACHADO, A. L. G.; FREITAS, C. H. A.; JORGE, M. S. B. O fazer do cuidador familiar: significados e crenças. Rev. bras. enferm. Brasília, v. 60, n. 5, p. 530- 534, out. 2007. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0 03471672007000500009&lng=en&nrm=isso >. Acesso em: 25 abr. 2016.

MARTINS, G. A. Estudo de Caso: uma reflexão sobre a aplicabilidade em pesquisas no Brasil. RCO – Revista de Contabilidade e Organizações, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 11, 2008.

MELLAGI, A. G. O enfrentamento religioso em pacientes portadores de HIV/AIDS: um estudo psicossocial entre homens católicos e evangélicos. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, 2009.

MIETO, F. S. R.; BOUSSO, R. S. A experiência materna em uma unidade de hemodiálise pediátrica. J. Bras. Nefrol., São Paulo, v. 36, n. 4, p. 460-468, 2014. Disponível em:< http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101280020

&lng=en&nrm=isso >. Acesso em: 25 abr. 2016.

PANACIONI, G. F. A.; ZANINI, C. R. O. Musicoterapia na promoção da saúde: contribuindo para o controle do estresse acadêmico. Opus, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 225-256, jun. 2012.

PARGAMENT, K. I. The psychology of religion and coping: Theory, research, practice. New York: Guilford Press, 1997.

PATTERSON, T. L.; GRANT, I. Interventions for caregiving in dementia: physical outcomes. Current Opinion in Psychiatry, v. 16, n. 6, p. 629-633, 2003.

PEREIRA, G.; SÁ, L. A utilização da canção em musicoterapia como recurso potencializador da ação terapêutica. XII Simpósio Brasileiro de Musicoterapia, 2006.

RIBEIRO, J. P. Gestalt-terapia: o processo grupal: uma abordagem fenomenológica da teoria do campo e holística. São Paulo: Summus, 1994.

SCHWANKE, C. H. A.; FEIJÓ, A. G. S. Cuidando de cuidadores de idosos. Revista Bioetica-nova, v.3, p.83, 2007.

SILVA, F. O. Musicoterapia com adolescentes portadores de câncer: um caminho para o desenvolvimento de estratégias de enfrentamento ao estresse. Dissertação (Mestrado do Programa de Pós-Graduação da Escola de Música e Artes Cênicas) –Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2008.

SILVA, F. O; FERREIRA, E. A. D. B. F.; MIRANDA, A. M. C. Musicoterapia durante a hospitalização de adolescentes portadores de câncer: Prevenção e/ou diminuição do estresse psicofisiológico. Anais: XII Simpósio Brasileiro de Musicoterapia, VI Encontro Nacional de Pesquisa em Musicoterapia, II Encontro Nacional de Docência em Musicoterapia. Goiânia/GO, 2006. Disponível em: < http://www.sgmt.com.br/anais /p02pesquisaresumoexpandidooral/RECO03Ortins&Ferreira&Miranda_Anais_XIISBMT.pdf. > Acesso em: 20 fev. 2016.

SILVA, L. W. S. et al. O cuidado na perspectiva de Leonardo Boff, uma personalidade a ser (re)descoberta na enfermagem. Rev. bras. enferm., Brasília , v. 58, n. 4, p. 471-475, Aug. 2005. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S

&lng=en&nrm=isso >. Acesso em: 24 nov. 2016.

STRAUB, R. O. Psicologia da Saúde. Tradução de Ronaldo Cataldo Costa. CRB 10/1023. Porto Alegre: Artmed, 2005.

WALDOW, V. R. Cuidado humano: o resgate necessário. 3.ed. Porto Alegre: Sagra Luzzatto, 2001.

WANDERLEY, M. B. Publicização do papel do cuidador domiciliar. São Paulo: IEE, PUC SP, 1998.

WORLD FEDERATION OF MUSIC THERAPY. Definição da Musicoterapia, 2011. Disponível em: < http://www.wfmt.info/wfmt-new-home/about-wfmt/ >. Acesso em: 22

nov. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v28i4.6901

Documento sem título
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis B3

Visitantes - (01/01/2006 - 20/12/2018)
País Usuários
Brasil 21.333
Estados Unidos 918
Portugal 462
França 277
Moçambique 178
Angola 109
Índia 65
Peru 56
Chile 55
Total 23.881

Fonte: Google Analytics