Transcription and Aesthetic Consciousness in "Amar-Amaro", by Carlos Drummond de Andrade

Divino José Pinto

Resumo


It is intended, in these reflections, to present and analyze the poem "Amar-Amaro", by Carlos Drummond de Andrade, considering, mainly, its bold form of construction ruled by the break as tradition, thanks to its innovative character, being able to be conceived as a an artistic object that performs the search for new horizons in artistic forms. To a relevant extent, this work is the material witness of the mobility of which we speak of these forms. It thus attests to the transformative dynamics of artistic discourse as the exercise of aesthetic consciousness, since the meaning and conception of originality also become mobile in contemporaneity and rests on the ability of an artistic object to deconstruct other artistic objects which precede it by transcribing into its bases other languages and forms.

Transcriação e Consciência Estética em “Amar-Amaro”, de Carlos Drummond de Andrade

Pretende-se, nestas reflexões, apresentar e analisar o poema “Amar-Amaro”, de Carlos Drummond de Andrade, considerando, principalmente a sua forma ousada de construção pautada pela ruptura como tradição, graças ao seu caráter inovador, podendo ser concebido como um objeto artístico que realiza o movimento de busca por novos horizontes nas formas artísticas. Em medida relevante, esta obra é o testemunho material da mobilidade da qual falamos dessas formas. Ela atesta, por conseguinte, a dinâmica transformadora do discurso artístico como exercício da consciência estética, uma vez que o sentido e a concepção de originalidade também se tornam móveis, na contemporaneidade, e repousa na capacidade que um objeto artístico apresenta de desconstruir outros objetos artísticos que lhe precedem transcriando em suas bases outras linguagens e formas.

 

 


Palavras-chave


Artistic construction. Transcreation. Art and movement. Aesthetic consciousness. Construção artística. Transcriação. Arte e movimento. Consciência estética

Texto completo:

PDF (portuguese)

Referências


ADORNO, Theodor W. Teoria Estética, Viseu, Edições 70, 1982.

ANDRADE, Carlos Drummond de. Poesia e Prosa, vol. Único,

Rio de Janeiro, Editora Nova Aguilar, 1992.

ARRIGUCCI JR, Davi. Coração Partido, uma análise da poesia reflexiva de Drummond, São Paulo, Cosac & Naify, 2002.

BAKHTIN, Mikhail. Questões de Literatura e de Estética – a teoria do romance, São Paulo, Editora Unesp/Hucitec,1998.

BLANCHOT, Maurice. O Espaço Literário, tradução de Álvaro Cabral, Rio de Janeiro, Rocco, 1987.

CAMPOS, Haroldo de. A Operação do Texto, São Paulo, Perspectiva, 1976.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A pintura encarnada. São Paulo: Editora 34, 2001.

FRIEDRICH, Hugo, Estrutura da Lírica Moderna. Trad. Marisa M. Curioni, São Paulo, Duas Cidades, 1979.

GOLDBERG, Roselee. Arte da Performance. Do Futurismo ao Presente. Martins Ed. (História da Performance Arte). 2ª. ed. 2012.

HEGEL. Estética, (poesia), Lisboa, Guimarães Editores, 1980.

HUTCHEON, Linda. Poética do Pós-Modernismo, história, teoria, ficção, tradução de Ricardo Cruz, Rio de Janeiro, Imago, 1991.

KRISTEVA, Julia. Introdução à Semanálise, São Paulo, Editora Perspectiva, 1974.

PLAZA, Julio, Tradução Intersemiótica, São Paulo, Perspectiva, 2013.

ROSENFELD, Anatol. Texto/Contexto I, 5ª ed., São Paulo: Editora Perspectiva, 1996.

(Debates/Crítica)

ROSENFELD, Anatol. Texto/Contexto II, São Paulo, Editora Perspectiva/Editora de Universidade de São Paulo, Campinas, Editora da Universidade de Campinas, 1993.

(Debates/Crítica)

TYNJANOV, Iurij. Avanguardia e Tradizione, Bari, Dedalo Libri, 1969.

(La Scienza Nuova/4)




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/gua.v7i2.6390

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


GUARÁ | Departamento de Letras | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 2237-4957 | Qualis B2

Flag Counter