A HUMANIDADE PRESENTE EM FABIANO E FAMÍLIA

Letícia Carvalho de Quadros, Diego Gomes do Valle

Resumo


Neste artigo, pretendemos expor como o narrador do romance de Graciliano humaniza seus personagens através do modo pelo qual narra. Buscaremos argumentar que, assim como o narrador humaniza Baleia, ele faz o mesmo com Fabiano e família, que de outra forma cairiam na animalização em decorrência do ambiente e da situação em que vivem.

Palavras-chave


Humanização. Narrador. Personagens. Humazination. Narrator. Characters.

Texto completo:

PDF

Referências


CANDIDO, A. Ficção e confissão: ensaios sobre Graciliano Ramos. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2006.

COSTA, C. R. S. O narrador em terceira pessoa: a humanização de Baleia em Vidas Secas, de Graciliano Ramos. Revista de Estudos Acadêmicos de Letras. Tangará da Serra, ed. 7, n. 2, p. 8-26, 2014.

LEITE, L. C. M. O foco narrativo. São Paulo: Ática, 2002.

MACIEL, M. E. Literatura e animalidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

RAMOS, G. Vidas Secas. São Paulo: Record, 1992.

SANTOS, V. D. A zoomorfização na obra Vidas Secas. 2013. 45 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Letras) – Centro Universitário Adventista de São Paulo. Engenheiro Coelho, 2013.

VILLAÇA, Alcides. Imagem de Fabiano. Estudos Avançados, São Paulo, v. 21, n. 60, p. 235-246, 2007.

WOOD, James. Como funciona a ficção. São Paulo: Cosac Naify, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/gua.v8i1.6459

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


GUARÁ | Departamento de Letras | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 2237-4957 | Qualis B2

Visitantes - (01/01/2011 - 01/08/2019)
País Usuários
Brasil 1.863
França 266
Estados Unidos 158
Portugal 50
Alemanha 39
Iraque 26
Ukrania 22
Yemen 20
Itália 18
Total 2.618

Fonte: Google Analytics.