Conteúdo digital viralizante: o meme como expressão do receptor na sociedade midiatizada

Ricardo Pavan, Luiz Felipe Fernandes Neves

Resumo


O artigo analisa o meme como gênero discursivo dentro da perspectiva teórico-metodológica que considera o receptor como sujeito ativo do processo de comunicação que se estabelece na sociedade midiatizada. A demonstração de como se articulam alguns dos elementos que caracterizam a mensagem memética é feita a partir dos memes que circularam pela Internet durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Também são evidenciadas algumas das características que distinguem o meme das mensagens que surgem ou são ressignificadas tradicionalmente no polo da recepção. Uma delas é o potencial viralizante desse tipo de mensagem, que pode ser continuamente disseminada pelos dispositivos de compartilhamento oferecidos pelas redes digitais de comunicação, estabelecendo novos modos de percepção e de linguagem e operando processos de identificação.

Palavras-chave


Meme; Midiatização; Recepção; Sociedade em rede

Texto completo:

PDF

Referências


BRAGA, José Luiz. Mediatização como processo interacional de referência. Animus: revista interamericana de comunicação midiática, Santa Maria, v. 5, n. 2, p. 9-35, jul./dez. 2006. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2018.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede: do conhecimento à política. In: CASTELLS, Manuel; CARDOSO, Gustavo (Org.). A sociedade em rede: do conhecimento à acção política. Lisboa: Imprensa Nacional: Casa da Moeda, 2006. p. 1-30.

DAWKINS, Richard. O gene egoísta. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

FRANÇA, Vera Regina Veiga. Programas populares na TV: desafios metodológicos e conceituais. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO - COMPÓS, 13., 2004, São Bernardo do Campo. Anais eletrônicos... São Bernardo do Campo: Compós, 2004. Disponível em:

. Acesso em: 22 jun. 2018.

CANCLINI, Néstor García. Ni folclórico, ni massivo: que es lo popular? Dialogos de la Comunicación, Lima, n. 17, p. 1-16, 1997.

HALL, Stuart. Quem precisa da identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2007. p. 103-133.

MALDONADO, Alberto Efendy. Práxis teórico/metodológica na pesquisa em comunicação: fundamentos, trilhas e saberes. In: MALDONADO, Alberto Efendy et. al. Metodologias de pesquisa em comunicação: olhares, trilhas e processos. Porto Alegre: Sulina, 2006. p. 271-294.

HALL, Stuart. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997.

HALL, Stuart. Tecnicidades, identidades, alteridades: mudanças e opacidades da comunicação no novo século. In: MORAES, Denis de (Org.). Sociedade mediatizada. Rio de Janeiro: Mauad, 2006.

MATA, Maria Cristina. De la cultura massiva a la cultura midiatica. Diálogos de la Comunicación, Lima, n. 56, p. 80-90, out./1999.

SODRÉ, Muniz. Reinventando a cultura: do atual ao virtual. In: FERREIRA, Maria Nazareth (Org.). Cultura, comunicação e movimentos sociais. São Paulo: CELACC-ECA/USP, 1999. p. 21-28.

SODRÉ, Muniz. Eticidade, campo comunicacional e midiatização. In: MORAES, Denis de. (Org.). Sociedade mediatizada. Rio de Janeiro: Mauad, 2006. p. 19-31.

SOUSA, Mauro Wilton de. Recepção e comunicação: a busca do sujeito. In: ______. (Org.). Sujeito: o lado oculto do receptor. São Paulo: Brasiliense, 1995. p. 13-38.

THOMPSON, John B. A mídia e a modernidade: uma teoria social da mídia. Petrópolis: Vozes, 1998. 017

VERÓN, Eliseo. Fragmentos de um tecido. São Leopoldo: Unisinos, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/pan.v8i1.6305

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


PANORAMA | Comunicação Social | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 2237-1087 | Qualis B4