Do Humano aos Pixels: o apelo sexual nas propagandas de videogames

José Antônio Loures

Resumo


O artigo apresenta, analisa e discute propagandas de apelo sexual para videogames. O corpo é transformado em mercadoria e também usado para atrair o público, e isso também se aplica ao universo dos videogames. Nesse texto estão propagandas de épocas e plataformas diferentes, assim como o seu público alvo. Foram utilizadas as categorias estabelecidas por Tom Reitcher para as análises, que são:  exibição do corpo, comportamento sexual, fatores contextuais e referências sexuais. Por fim, o trabalho apresenta uma visão geral de como ao decorrer das décadas a publicidade nos videogames representavam o corpo feminino e masculino.

Palavras-chave


Videogames, propagandas, corpo e sexo

Texto completo:

PDF

Referências


ABBADE, João. Cyberpunk 2077 é significantemente maior que The Witcher 3, diz CEO da CD Projekt Red, 2017. Disponível em: . Acesso em 21 de janeiro de 2018.

CASTRO, Ana Lúcia de. Corpo, consumo e mídia. In Revista CMC: Comunicação, mídia e consumo, v.1, n.1, 2004. São Paulo: Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Práticas de Consumo da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing). Disponível em . Acesso em 02 de janeiro de 2018.

G1. Mulheres são 52,6% do público que joga games no brasil, 2016. Disponível em: . Acesso em 31 de janeiro de 2018.

JANSEN, Roberta. Lei multa propagandas sexistas e misóginas no Rio em até R$ 658 mil, 2018. Disponível em: . Acesso em 04 de janeiro de 2018.

KARASINSKI, Vinicius. Deep Silver se desculpa pelo busto feminino zumbificado de Dead Island Riptide, 2013. Disponível em: . Acesso em 07 de janeiro de 2018.

LOCAL, Reportagem. Conar restringe erotismo e jovem em propaganda de cerveja e vinho, 2003. Disponível em: . Acesso em 04 de janeiro de 2018.

REICHERT, Tom. Sex in advertising research: A review of content, effects, and functions of sexual information in consumer advertising. Annual Review of Sex Research, v. 13, p. 241-273, 2002.

SANTAELLA, Lúcia. O corpo como sintoma de cultura. In Revista CMC: Comunicação, mídia e consumo, v.1, n.2, 2004. São Paulo: Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Práticas de Consumo da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing). Disponível em < http://revistacmc.espm.br/index.php/revistacmc/article/view/17>. Acesso em 01 de janeiro de 2018.

SMITH, Bruce. Propaganda. 2016. Disponível em: . Acesso em 01 de janeiro de 2018.




 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


PANORAMA | Comunicação Social | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 2237-1087 | Qualis B4